09/05/2017

RESENHA: Quasi Di Verdadi - Kelly Christi


 O que acontece quando uma talentosa autora resolve colocar sentido nos acontecimentos mais simples do nosso dia-a-dia? É isso que descobrimos em "Quasi Di Verdadi", estreia da autora Kelly Christi no mercado editorial. O livro reúne contos que transformam os mais corriqueiros acontecimentos em reflexões maravilhosas. A resenha dessa vez é curta, pois não daria para falar muito dos contos sem soltar todo o enredo, mas espero que gostem. Confiram abaixo e deixem sua opinião nos comentários :)




Nome: Quasi Di Verdadi
Saga: Contos
Autora: Kelly Christi
Ano: 2017
Páginas: 336
Editora: Litteral
Classificação: 5,0 estrelas + ♥

Sinopse: Quasi di Verdadi é um livro que conta com 9 contos urbanos de personagens deslocados vivendo em cidades grandes com seus desejos, conflitos e descobertas. Em uma linguagem simples, reflexiva e boas pitadas de humor, Kelly Christi nos leva a observar um mundo de situações que pouco percebemos em meio a cegueira e a correria das metrópoles. Temas como desencontros, amores intensos, sexo casual, vidas incomuns, preconceitos escondidos e jovens enfrentando a vida adulta são alguns dos pontos centrais das histórias do livro que mostra que há sempre um novo olhar entre a ficção e a realidade.
Onde Encontrar: Amazon / Saraiva / Página no Facebook




  Primeiramente, preparem o fôlego! Tentei, várias vezes, organizar o post para poder comentar um pouco sobre cada conto. Mas isso se mostrou impossível quando constatei o quanto esse livro me fez pensar. Se eu fosse falar de tudo o que entendi de cada um e sobre a situação de seus significados, poderia transformar o post em um novo livro (sem brincadeiras!). Então, para não adiar a resenha para 2020, resolvi criar um paragrafo somente explicando (rasamente) os contos e, em seguida, dar minha breve opinião geral. Bora?

  O primeiro conto, Tatuada, fala das filosofias de Duda, uma garota que encontra seu ex namorado durante uma viagem de metrô. O segundo, Por 15',  é sobre Catarina e seu desespero biológico (sim, o número 1) em um momento inoportuno. O oculto da Ciência, o terceiro, retrata a vida de Daniel e Juninho, paí e filho que passam por momentos depressivos após a morte de Aurora, mulher e mãe. O quarto conto, Espirito Livre, retrata o encontro de Fernanda e Espírito, um cão de rua. Simples Assim, o quinto conto, narra o desespero de Augusto em encontrar um sentido para a vida. O sexto, Esquinas femininas e outros centavos, o encontro de Cris e Catrina, uma travesti. O sétimo, Licor de Chocolate, mergulha nas dúvidas de Tomás quanto á uma misteriosa garota que conhecera recentemente. O oitavo, Quasi Di Verdadi, biografa a insana mente de Sophia... ou Alice? Cacau? Maria? Juliana? Nunca se sabe... tudo depende do momento. E o nono e último conto, A Flecha do Golpe, acompanha o relacionamento inusitado de um coxinha e uma petralha. Ufa... agora sim!

  Não, não se engane; as situações descritas acima são exatamente o que acontece nos contos. Mas não desanime; o dom da autora (neste livro) não está na criação de ação, mas no sentido incluso sutilmente no meio das palavras.


  Cada conto direciona o leitor á uma avalanche de pensamentos e reflexões que, as vezes, vão muito além do abordado nos textos. A autora também escreve de modo a deixar o veredito por mérito do leitor,cada um absorvendo algo diferente mas com o mesmo propósito. Há ainda aqueles em que a mensagem fica estampada de forma transparente; A Flecha do Golpe, por exemplo, retrata a bagunça que atualmente é a politica brasileira. Mas, uma coisa que todos tem em comum é a forma em que abordam assuntos atuais que, infelizmente, ainda são tabu em nosso país. Transfobia, preconceitos e transtornos são apenas alguns deles. Todos, claro, retratados com muita leveza, em momentos que quase todos nós compartilhamos durante o dia.


  Como são textos curtos, não deu para absorver muito da escrita da autora, mas já vi que ela consegue se adequar ao tema de forma a deixar o texto natural e fluído, sem palavras desnecessárias. A narrativa é rápida mas clara, deixando quase impossível a missão de largar o celular na hora da leitura. A revisão também foi impecável, não deixando passar um único erro (que eu tenha percebido). A diagramação do ebook é super bem feita e me fez imaginar a beleza que ficaria esse livro no formato físico.


  Resumindo: Livro recomendado para todos, não importa sua idade ou gênero favorito. Mesmo que tratando de assuntos sérios, a forma na qual a autora aborda é tão leve que não chega a chocar ou impressionar. A autora tem um blog, o Pequenos Deleites, onde postas mais textos. Já favoritei para ir lendo com o tempo <3


  E vocês, se interessaram pela leitura? Se sim, não se esqueçam de adicionar o livro em suas plataformas digitais. Esse tipo de divulgação ajuda muito autores iniciantes, dando oportunidade para outras pessoas conhecerem suas obras. 

Abraço! Fábio.


6 comentários:

  1. Olá Fábio, tudo bem???
    Não conhecia a autora... mas eu não curto muito livros de contos, é bem raro eu ler para ser bem sincera e quando leio algo, é mais de terror. Apesar que recentemente fui acometida por uma loucura e comprei um livro de contos, mas são de autoras amigas e que apoio desde de sempre... mas achei bem interessante a forma como você retratou os contos e pela divulgação nacional... Xero!!!

    https://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Super resenha, Fábio! De tirar o fôlego, igual ao livro que você apresenta! Anotadíssimo!
    Abração!
    Drica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha fico feliz que tenha gostado, Drica!

      Muito obrigado :)

      Excluir
  3. Olá, tudo bem? Adoro livros de contos, então com certeza vou gostar do livro, haha. Adorei sua resenha! :)

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir