05/11/2016

RESENHA: A Lista Negra - Jennifer Brown


 A Lista Negra narra a estória de Valerie Leftman, estudante do colégio Gavin. Atormentada pela violência e abuso do Bullying que sofre no colégio, a garota cria uma "Lista Negra" com o nome das pessoas/coisas de que não gosta. A única pessoa que tem conhecimento da lista é Nick, seu namorado, que também sofre Bullying. Logo o garoto se vê tão envolvido com a lista quanto a menina. 

 Mas, se para Valerie a lista era apenas uma válvula de escape, para Nick significava algo mais. Em 2 de Maio, o garoto entra armado na escola e assassina vários estudantes e professores, causando comoção geral. Na tentativa de parar o garoto, Valerie entra na sua frente quando ele está com a arma apontada para uma estudante da "lista negra" e acaba levando um tiro na perna. Após o massacre, o garoto se suicida com um tiro na cabeça no mesmo local onde assassinou tantos inocentes. Mas a tragédia não termina ali; Val enfrentará os frutos daquele dia por muito tempo. 

 Apesar da premissa interessante, A Lista Negra me decepcionou em vários quesitos. 
Valerie, a protagonista, apresenta o sentimento recorrente da adolescência: A dificuldade em se encaixar. A garota passou da "A-List" para os "Renegados" com influência de Nick, o garoto novo e desleixado da escola. Ao longo do livro, a garota descobre a si mesma e as pessoa ao seu redor, antes cobertas pela camada de pré-julgamento que todos - sem exceções – colocamos na frente dos olhos pelo menos uma vez na vida. A autora conduziu a personalidade da protagonista de modo interessante, colocando drama sem deixar aquela protagonista chata e chorona. Ela também sai do clichê e retrata a “A-List” não como vilã da história, mas como pessoas que não tem consciência dos próprios atos. A amizade de Valérie com Jessica, a garota no qual salvou a vida ao pular para parar o Nick, cresce gradualmente conforme as páginas vão passando. E, mesmo com a própria recusa, ela consegue desconstruir aquilo que achava ver. 

Mas, se por uma lado o relacionamento dos personagens me agradou, os assuntos sociais me desapontaram totalmente. A autora tinha uma mina de ouro nas mãos; o Bullying nos colégios, a aceitação social dos jovens. Mas ela tratou o assunto tão superficialmente que a reação não foi conscientizar o leitor, mas apelar para suas emoções. Além disso, no meio do livro a autora percebe que pode apelar ainda mais para as emoções e então começam os abusos emocionais, a recusa da própria família, a queda da base familiar e os pensamentos de autodestruição. Tantos pontos deixaram a história forçadamente dramática, tirando o foco principal de tudo. Mas tudo bem se a autora desse um final que colocasse um ponto de luz nesse túnel. E ela fez isso? Exatamente, não! O relacionamento de Val com seu pai egoísta, sua mãe superprotetora, seu antigo círculo de amizades e a A-List continua suspenso, deixando o leitor totalmente cego para tais assuntos. Em alguns casos, as reações de pessoas ao seu redor chegam a ser grotescas por divergir tanto das personalidades descritas anteriormente. As peças do jogo foram movidas para te emocionar, não para fazer sentido. 

Resumindo: Apesar da premissa forte, o livro não surpreendeu em nada. A escrita da autora é mediana, a trama morna, o sentido foi perdido e as respostas não respondidas. Gostei do modo de como algumas cenas foram conduzidas, mas no contexto final estas foram exceções. Recomendo para quem não leu nada do gênero e quer arriscar. 


3.0

7 comentários:

  1. Fico feliz em ser sua primeira seguidora aqui! Gostei bastante de seu blog. Tem tudo pra dar certo e decolar. Você escreve muito bem! Parabéns! Boa sorte!

    Um abraço,

    Drica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado!! Você não sabe como esse comentário me deixou feliz <33

      Excluir
  2. Tenho muita curiosidade para ler esse livro, mas desanimei um pouco quando você disse que o livro te decepcionou. Parecia tão bom...

    Abraços,
    Andrezza
    acorujaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, Andrezza
      Se a sinopse te interessou, vai fundo! O meu problema mesmo foi com a parte de psicologia do livro, que achei fraca. Mas uma amiga minha leu e falou que adorou, então nunca se sabe né? haha

      Obrigado por comentar! Abraços

      Excluir
  3. Aaaah!
    Eu tinha interesse neste livro, mas pela sua resenha e pela nota (um mísero 3,0) acho que vou excluir da lista. A vida é muito curta para se ler livros ruins (ou com nota 3,0) hahahah'

    https://vicioseliteratura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha
      Então, se a sinopse te interessou, recomendo a leitura. Mas se nem isso te chamou a atenção, passa longe viu...
      Apesar de alguns pontos positivos, o livro não conseguiu me surpreender (ou o problema está comigo, já que li outro livro aclamado e dei 3,5 também kk)

      Abraços!

      Excluir
  4. Oi, Fabio! :)

    Esse livro divide mesmo opiniões.
    Já vi resenhas positivas e negativas. Mas dei mais atenção as negativas.
    Não gosto quando a história perde o sentido e deixa perguntas no ar.
    Dá a impressão que o autor/a encheu tanto "linguiça" que no final de tudo se perdeu. Fico bem chateada com esse tipo de livro.
    Gostei do blog vou acompanhar.

    Abraços!
    http://quimicanerds.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir